domingo, 27 de fevereiro de 2011

Tempo

Preciso parar nosso tempo
para não fazer caminhos,
não criar atalhos,
o hoje acaba e você vai embora.


Quero um sol que dure semanas,
uma noite que esqueça de acordar,
pra quando estiver diante do seu corpo,
fazendo amor, aprendendo do seu amor.


Que os dias parem o mês,
as palavras na boca que beijo,
livre, sem tempo, horas pra depois,
somente eu e toda a vida.


Não quero outros caminhos,
nem variedade de corpos,
já não me sinto vazio de sentimento,
o espírito está livre,
meu corpo caminhante do seu.


As horas passam além dos dias,
escondo-me entre seus desejos,
mas tudo é revelado pelo segundo seguinte,
entre amantes e o tempo implacável.


Como não tenho poderes,
misturo meus prazeres as salivas,
o gozo aos beijos,
todos os gestos juntos tentando nos enganar.


Escrevo cada linha das suas curvas,
preencho todos os seus espaços,
visito os lugares mais sensíveis,
fazendo seu corpo esquecer o tempo
pra sempre lembrar da alma que te quer.