quinta-feira, 10 de junho de 2010

CONTRIÇÃO

Rosários de palavras...

É isto o que eu procuro!

Enfiadas de versos

a demonstrar contrição.



Este é o meu confessionário,

e a cada metáfora uma transgressão,

e a cada poema uma penitência,

e haja pecado!



E aí...

Começar tudo outra vez.



No altar, meus santos,

não conseguem esconder

a contrariedade.



Às vezes até eu fico envergonhado!

A carne ainda é fraca,

a sede também.



Uma heresia aqui,

uma escorregada ali,

uma tentação acolá.

E haja poemas!



O padre disse

que o significado dos meus versos,

é o da busca pelo perdão.



Coleciono rosários,

palavras, poemas, pecados,

penitências, permissividade,

absolvições.



Vida de poeta

que gosta de caminhar

por entre escombros.

Sem comentários: