sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

CERTOS CONTRATEMPOS QUE TEMOS

Existem contratempos que sempre encontram tempo para atazanar nossa vida. São aqueles dias em que as coisas não dão certo, ou mesmo certas fases em que as contrariedades parecem surgir à nossa frente, atrapalhando todos nossos planos, colocando por terra coisas que tanto e tão bem haviamos planejado, mas que não deram certo, sabe-se lá porque... São as chamadas coisas da vida...

Sempre que isso acontece, vem aquele enorme vontade de mandar tudo para o espaço, e desistir de quaisquer projetos que tenhamos, porque nada está dando certo.

A esse respeito, meu velho amigo e guru L'Inconnu, deixou-me uma mensagem muito interessante. Vejam só:

"Quando parecer que tudo se volta contra você, pense apenas que o avião decola contra o vento, e não a favor dele"

Sem qualquer sombra de dúvida, eis aqui uma verdade incontestável.

Sempre que aparecerem tais contrariedades, ou seja, as famosas fases negativas, em que parece nada dar certo, temos que nos lembrar deste pensamento. Desde as pequenas coisinhas, como darmos uma topada com a unha
encravada, ou comprarmos um presente para alguém especial e descobrir que ela acabou de ganhar a mesma coisa, ou algo assim por distração marcarmos encontro com duas namoradas no mesmo horario e local...

Ou então, aquelas mais importantes, tais como a perda de um emprego, ou a falência da firma em cujas ações tínhamos aplicado nossas economias, ou descobrir que o grande amor de nossa vida não nos quer mais, ou ainda
descobrir que aquela pessoa em quem tanto confiávamos nos aprontou uma grande falseta, ou que o carro que compramos de um amigo era clonado...

Enfim, um sem número de situações que juntas ou isoladamente podem levar qualquer pessoa ao desespero, à descrença contra a humanidade.

Acontece que é justamente nessas horas que precisamos mostrar de que material somos feitos.

Temos que seguir o exemplo do avião, que garbosamente alça vôo lutando contra o vento e vencendo-o. Também podemos seguir o exemplo das aves, que quando percebem que o vento está muito forte, procuram voar de lado, tentando encontrar seu rumo com paciência e obstinação. Reparem que elas não desistem. Podem pousar por alguns minutos, e voltam à carga com as forças recuperadas. E vão tentando, até conseguir seu intento. Mas não desistem.Elas tem um objetivo. Chegar a seu ninhal. E vão em frente.

Esse é o caminho. O que não podemos é desistir aos primeiros obstáculos que nos surgem pela frente. Aliás, para as pessoas de têmpera, são esses contratempos que dão sabor melhor às vitórias. Vocês já repararam que nunca damos o devido valor para as coisas facilmente conseguidas? Contudo, quando somos exigidos, quando precisamos mostrar de que material somos feitos, podemos expor os resultados conseguidos e dizer que ali tem muito de nós...
Tem nosso valor, tem o resultado de nossa capacidade, e é isso que nos traz a real satisfação no objetivo alcançado.

E isso começa desde cedo. Vocês já repararam a expressão de suprema felicidade de uma criança que consegue dar os primeiros passos? É a primeira grande vitória de sua vida. Foi conseguido por seu próprio mérito. Claro que teve o apoio e o estímulo de seus pais. Talvez absolutamente só não teria conseguido. Não saberia como fazê-lo. Mas a grande decisão que o levou a dar os primeiros passos foi sua.

Quantas vezes nos vimos nessa contingência de darmos "os primeiros passos" em nossa vida? Numa mudança de emprego, numa decisão importante, num casamento, numa viagem. Enfim, nossa vida é plena de "primeiros passos", e temos de ter a coragem de dá-los.

Sempre surgem situações que exigem uma decisão. Mudanças que vão requerer de nossa parte uma terrível adaptação. Exatamente nesses momentos, temos que saber decidir. Temos que saber enfrentar as contrariedades que vão surgir, que teremos de enfrentar com essa decisão que tomarmos. Não podemos nos esquecer de que tudo envolve riscos. Pode ou não dar certo. Dependerá muito de nós. De como soubermos enfrentar as dificuldades. De conseguirmos "decolar contra o vento"...


Quantos tropeções já tivemos? Quantas pessoas ficam pelo caminho, caídas aos primeiros tropeções? Por não terem tido a coragem de enfrentar a adversidade? E quantas pessoas conseguiram grandes êxitos após terem sofrido grandes quedas? É nas adversidades que podemos mostrar se temos valor.

Não quero dizer com isso que o êxito fácil não tem valor. Tem. Mas, convenhamos, é mais gostoso e dá muito mais emoção quando nosso time ganha com um gol no último minuto da prorrogação, do que quando ganha por 10 a zero. A vitória foi suada, mostrou o valor dos jogadores que não desistiram de buscá-la até o último minuto.

Assim é nossa vida, só podemos desistir, quando dermos o último suspiro. Até lá, temos o dever para conosco mesmo de procurar nossos objetivos. De seguir nosso destino.

Assim sendo, que todos tenhamos UM LINDO E DECISIVO DIA.

1 comentário:

Anne Lieri disse...

Que texto maravilhoso!Simplesmente uma grande lição de vida!Convido vc a conhecer meu novo blog "Nas asas do vento".Bjs,