quarta-feira, 10 de março de 2010

EM ALGUM LUGAR DO PASSADO

Uma varanda, um jardim, uma rosa desabrochada, são cenas que trazem a nossa lembrança, imagens de vidas que tivemos em algum lugar. Às vezes são lembranças nevoadas, alegres ou tristes do momento que já vivemos.

Assim como é em baixo, é em cima, assim como foi lá, é aqui e não podemos mudar, jamais poderemos mudar. Podemos sim, acrescentar, aqui, algo mais lindo, mais belo, daquilo que tivemos e vivemos lá. Podemos viver as mesmas cenas, os mesmos motivos, os mesmos encantos ou desencantos, os mesmos encontros, os mesmos amores, as mesmas dores, mas nada podemos diminuir nada do passado podemos mudar.

Por que não embelezar esse jardim, cultivado e guardado em nossa alma, e que a lembrança o transporta até nosso coração? Por que não regar essa rosa do amor e fazê-la desabrochar linda, num raro esplendor? Por que não vivermos novamente aqueles momentos lindos, momentos que me vem à lembrança quando me transporto até aquele tempo. O tempo em que eu te carregava no colo, assim como se acolhe uma linda criança...

Ah! Se soubesses como eu gostaria de reviver novamente aqueles momentos de alegria, quando tu transportavas-me a felicidade e a conduzia até meu coração. Era o amor, e como é lindo o amor, como é lindo amar, como é prazeroso o recordar e eu recordo e vivo. Sim, eu recordo neste momento, tudo o que já vivemos todos os momentos de amor que lá tivemos. Eu sei que tu não te lembras, nem recordas do que lá vivemos, mas certamente tu hás de te lembrar do amor que aqui nós temos, desse amor que mesmo na distância é sentido e absorvido com emoção, nesse nosso tão apaixonado coração.

Convido-te a viver esta emoção, este momento que é só teu, que é só meu, que é só nosso, enquanto eu ainda posso te revelar este segredo que sempre existiu, aqui e em outro lugar...

Esse segredo de nos amar.

Sem comentários: